Select Page

p.p1 margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 11.0px Helvetica; -webkit-text-stroke: #000000; min-height: 13.0px p.p2 margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 11.0px Helvetica; -webkit-text-stroke: #000000 p.p3 margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; text-align: justify; font: 11.0px Helvetica; -webkit-text-stroke: #000000 p.p4 margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; text-align: justify; font: 11.0px Helvetica; -webkit-text-stroke: #000000; min-height: 13.0px span.s1 font-kerning: none

A pessoa nem se dá bem conta da quantidade de marcas infantis que existem… até ser mãe. A maternidade é o passaporte para um mundo infinito de coisas fofinis e com grande potencial para nos arruinarem a carteira. Diz que no nosso tempo é diferente. Pelo menos, a minha diz que sim. Que só havia meia dúzia de “casas”, por isso ia toda a gente aos mesmos sítios. Agora não, é uma fartura. Coisas mais cool, mais clássicas, mais sporty, mais caras, mais em conta… há de tudo. Escolhi dez das minhas marcas nacionais preferidas – de roupa, acessórios e decoração – mas facilmente podia ter aqui mais dez. Fica para a próxima

Xadrez às Riscas

O meu primeiro contacto com a marca foi quando, há um par de anos, me enviaram um candeeiro para o Mateus, em forma de carro. O miúdo adorou aquilo de tal maneira que se tornou no candeeiro de mesa de cabeceira do quarto dele. Mas só conheci melhor a Xadrez às Riscas recentemente, num dos mercados infantis, e fiquei maravilhada com as peças deles. Tudo produzido em Portugal, algures no norte, com óptimos materiais e um design cuidado e cheio de detalhes. Claro que não resisti e acabei por comprar mais um candeeiro para o Mateus. Se andam à procura de uma peça diferente para o quarto dos miúdos, vale mesmo, mesmo a pena espreitar a Xadrez às Riscas.


Gloop!

A Gloop! Baby Care é responsável pelo melhor aquisição de todos os tempos que fiz para a Benedita: o ninho. Tudo na marca é de uma óptima qualidade (lençóis, edredões, capas de ovo, protecções para o berço, fraldas, babetes), mas, para mim, o ninho é assim o produto chave, aquele que recomendo a TODA a gente e, sem dúvida, aquele que a Beni mais usa. É no ninho que ela dorme desde que nasceu, não só à noite mas também as sestas do dia. Sobretudo quando era mesmo pequenina, acho que se sentia mais reconfortada dentro do ninho, mais ou menos como se ainda estivesse dentro da barriga. E enquanto lá couber, é lá que vai dormir. O ninho pode ser posto dentro do berço, em cima da cama, em cima do sofá (se eles ainda não rebolarem), onde se quiserem. E, como é leve, é óptimo para levar em viagem. Comparativamente a outros ninhos que vi, este tem uma base, uma espécie de colchão, não é só aquele rolo de espuma à volta, por isso é mesmo como uma pequena-cama. Outro ponto a favor da Gloop Baby são os padrões. Todos bonitos e super sóbrios, nada de grandes bonecadas. Muito fã!

MiniMana

Ninguém duvida que Portugal é bom a fazer uma data de coisas, mas no campo dos móveis poucos nos batem. Há longa tradição que temos, junta-se um gosto cada vez mais apurado, a capacidade de nos reinventarmos e de criar novos conceitos. Ora a MiniMana junta isso tudo e eu sou altamente suspeita para falar, porque a caminha que escolhi para a Beni é deles, da colecção Deco, e acho que é das peças mais bonitas do quarto dos miúdos. As linhas são muito simples, sóbrias, exactamente o que eu queria. E, claro, sendo um móvel made in Portugal, não tenho dúvida de que durará uma vida. Se calhar vale a pena considerar ter um terceiro filho, só para herdar a caminha. Espreitem o site, as peças são mesmo, mesmo bonitas.


My Little Dragon Store

Ora bem, declaração de interesses: a marca é de uma amiga próxima, assisti a todo o processo de criação, por isso é normal que tenha assim uma ligação mais afectiva mas, acreditem, se achasse que era uma piorada de todo o tamanho jamais figuraria nesta listinha. A My Little Dragon Store é uma marca cool que quis fugir ao universo de rendas, laços e folhinhos que há por aí. Vai daí, lançou a sua peça mais emblemática: casacos hoodies com frases fixes e com uma cauda de dragão no capuz. Os miúdos ficam todos loucos quando vêem os casacos. O Mateus tem dois e adora-os. E eu estou sempre a dizer à Inês – a dona da marca – que devia fazer aquilo em tamanho adulto, ia ser um sucesso. Mas pronto, enquanto não me dá ouvidos vão lá ver os casacos, t-shirts e camisolas para a pequenada.
Le Petit Chiffon

O toque. Se tivesse de escolher uma característica para definir a Le Petit Chiffon, sem dúvida que escolhia o toque. Todas as peças são em algodão 100% biológico e são tão macias que dá vontade de estar sempre a esfregar a cara nelas. Na Le Petit Chiffon todas as peças são brancas, de cortes simples e de óptima qualidade. E há um bocadinho de tudo: roupa interior, roupa de praia, roupa de cama, tudo super confortável.
Picolé Limão

Quem é que disse que os bebés não podem vestir-se de preto? Ninguém, não há nenhuma lei, mas ainda há muita gente que olha um bocado de lado. Do mesmo modo que já há muita gente que não adora os tradicionais rosas e azuis e prefere fugir para os pretos, brancos e cinzentos. A Picolé Limão foi feita a pensar nessas pessoas, que procuram cores e padrões menos convencionais para vestir os miúdos. E por isso há bodies, macacões, casacos ou t-shirts às bolas, quadrados e riscas. E, claro, naquelas cores menos “comuns”. Sinceramente, acho que a Picolé Limão é uma lufada de ar fresco no meio de tantas marcas que são só mais do mesmo. Venham mais assim.

Clube do Menino

Quando engravidei a primeira vez e soube que era um menino toda a gente me dizia “aaaaaahhhhh, estás safa, não há quase nada para eles, é sempre mais do mesmo, se fosse uma menina era muito pior”. Verdade. Enquanto são bebés uma pessoa ainda perde um bocado a cabeça, porque há tantas coisas queridas para eles como para elas, mas quando se acaba a época dos fofos e babygrows é como se fosse peixe frito todos os dias: calças/calções/camisolas/camisas/t-shirts/ténis/botas. A pessoa vai aos mercaditos e para aí 80% da oferta é muito mais a pensar nelas do que neles. Mas pronto, graçazaDeus já vão nascendo marcas criadas só para os miúdos, como o Clube do Menino. Que tem coisas meeeeeeeeeesmo giras para eles. Probleminha (ou vantagem, conforme a perspectiva): se tiverem meninas e forem como eu, que fujo um bocado aos rosas, vão conseguir encontrar uma data de peças igualmente giras para elas. Mas pronto, se só tiverem rapazes, aqui safam-se lindamente.
DOT

Para mim é a marca das coisas queridas. Não é a únicas, há várias outras de que gosto (Grace, Camellia Boutique, Baby by Piki, etc), mas quando quero umas peças assim mais compostas (que também gosto), sei que na DOT encontro. Algumas das peças mais especiais do Mateus eram da DOT, e claro que a Beni também já tem uma data delas. É a chamada marca fofinha, com malhas maravilhosas, golas, padrões bonitos e que tem um lugar quentinho no meu coração.

Cherry Papaya Kids

Graças a todos os santos, o Mateus não é assim muito complicado de vestir. Não refila, não exige, não nada. Basicamente, veste o que lhe pomos à frente. Mas se há coisa que ele veste sempre com muita alegria são as peças da Cherry Papaya Kids, porque tem os padrões mais giros de todo o sempre. Ele são insectos, ele são gelados, ele são iglôs, ele são ursos polares, ele são uma data de coisa mesmo fofinhas. Há peças do Mateus que já não servem e que fiz questão de guardar para a Beni, porque acho que são peças muito diferentes (e de boa qualidade).
Kids Stuff

Não é propriamente uma marca, é antes um site que agrega várias marcas infantis, de roupa a decoração, passando por livros ou brinquedos. O que é que têm em comum? São todas marcas nacionais, originais e criativas. Há muito por onde escolher, mas destaco a MiniMana (que já falei acima), a Le Petit Mool (com móveis super originais), os candeeiros da Orikomi, os brinquedos da Fulana, Beltrana, Sicrana ou a roupa da Moki & Mar e Play Up.